Macau vai pedir acesso a Hong Kong para casos médicos urgentes - Plataforma Media

Macau vai pedir acesso a Hong Kong para casos médicos urgentes

No início de fevereiro, Hong Kong suspendeu todas as ligações marítimas com Macau. Uma medida para conter o surto da covid-19 reforçada a partir de hoje, com as autoridades a fazerem o mesmo com os transportes públicos que asseguravam a única ligação entre as duas cidades, através da ponte Hong Kong-Macau-Zhuhai.

Na conferência de imprensa diária do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, as autoridades admitiram que podiam tentar assegurar algumas exceções, mas sublinharam que a análise dos casos seria apenas realizada quando se tratasse comprovadamente de alguma emergência médica à qual não fosse possível dar resposta em Macau.

Se por um lado apontaram que era preciso respeitar as decisões das autoridades de Hong Kong, por outro salientaram o facto de o trânsito transfronteiriço poder potenciar o risco de contágios, lembrando que o interesse público é uma prioridade e que não pode ser colocada em causa a segurança da comunidade.

A inexistência de transportes públicos – até agora assegurados pelas ligações marítimas (uma delas direta para o aeroporto internacional de Hong Kong) e através da ponte que liga as duas regiões administrativas especiais e a China continental (Zuhai) – está a afetar também os trabalhadores não-residentes (TNR) que querem abandonar o território e cujo visto laboral expirou.

As situações terão de ser analisadas caso a caso, reiteraram as autoridades, recordando, contudo, que as pessoas, apesar das restrições em outros países e territórios, não estão proibidas de sair de Macau, mas apenas de entrar.

Essa é outra das questões: TNR que foram surpreendidos pela decisão de Macau de proibir a sua entrada. Alguns ficaram em Hong Kong, após cumprirem uma quarentena obrigatória na cidade vizinha, à espera que a capital mundial do jogo volte a abrir as portas para regressarem aos respetivos empregos, embora as autoridades continuem a não avançar qualquer previsão sobre o momento em que tal pode acontecer.

Para além de nenhum transporte público fazer a ligação entre as duas regiões, à exceção de carros particulares autorizados e transporte de mercadorias, também há a registar outras restrições de horário na travessia da ponte, desde hoje: os corredores de entrada e saída de veículos, antes abertos 24 horas, estão agora a funcionar entre as 06:00 e as 22:00, enquanto os postos fronteiriços estão operacionais apenas entre as 10:00 e as 20:00.

Related posts
ChinaMacau

Veículos de Macau vão poder circular por toda a província de Guangdong

AngolaSociedade

Caos nas autorizações para entrar e sair de Luanda

AngolaTransportes

Luanda retoma circulação de comboios suburbanos

Sociedade

Casos caem para menos de 500 na parte continental da China

Assine nossa Newsletter