Tráfico de seres humanos é o terceiro negócio mais lucrativo no mundo -

Tráfico de seres humanos é o terceiro negócio mais lucrativo no mundo

A directora nacional dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça, Luísa Buta, revelou, ontem, em Luanda, que o tráfico de seres humanos é o terceiro crime mais lucrativo no mundo, depois do tráfico de drogas e do tráfico de armas

Luísa Buta fez esta afirmação quando dissertava o tema “Tráfico de Seres Humanos”, durante uma palestra. Esta coorganizada pela sua instituição e pelo Serviço Jesuíta de Refugiados (JRS, siga em inglês), em alusão ao dia de combate a este crime que se comemora a 30 deste mês.

Durante a sua dissertação, informou que de 2003 a 2016 o mundo registou 225 mil casos de tráfico de seres humanos. As vítimas foram atraídas pelos seus algozes de várias formas aliciatórias.

Destacou o “acto, o meio e a proposta”, como sendo os instrumentos sedutores utilizados pelos traficantes para encontrarem as suas vítimas em todo o mundo.

Estes instrumentos consistem em recrutar, transportar, transferir, abrigar, usar da força, coerção e rapto, cujas vítimas são usadas para a escravidão. Enquanto outras servem para exploração sexual e trabalhos pornográficos.

Luísa Buta alertou que os traficantes não escolhem idade, raça, sexo ou nacionalidade. Contudo, realçou que, para eles, o mais importante é traficar para alcançarem os seus propósitos.

No entanto, disse ser difícil identificar a rede dos traficantes, tendo em conta a complexidade da sua actuação, realçando que alguns apresentam- se como pessoas de boa fé para ajudar a resolver uma determinação situação.

“Têm várias formas de atrair as suas vítimas”, sublinhou, apontando as redes sociais como sendo instrumentos.

Leia mais em O País

Artigos relacionados
AngolaSociedade

Aumentam crianças arrastadas para as vigílias no “Morro dos Veados”

Angola

Supermercados Kero podem ter novos donos este ano

AngolaPolítica

Angola prevê vacinar 53 por cento da população

AngolaCultura

Projecto cultural cria espaços de recreação na comunidade

Assine nossa Newsletter