13 mil milhões - Plataforma Media

13 mil milhões

Na passada terça-feira a notícia correu mundo: Jeff Bezos acumulou, em apenas um dia, mais 13 mil milhões de dólares à já sua colossal fortuna que, dizem, está quantificada em 186 mil milhões de dólares. Nunca tal tinha acontecido na história dos mais ricos e das maiores fortunas. Com apenas um risco no calendário, uma única pessoa ganhou um montante que, confesso, tenho muitas dificuldades em visualizar o que representa.

Entre os vários exercícios comparativos que se fizeram, chegou-se à conclusão que a riqueza do dono da Amazon ultrapassou o valor de algumas das maiores multinacionais nomeadamente a Nike, McDonald’s, da Starbucks ou que a sua fortuna atual vale 30 vezes a da Rainha de Inglaterra.

O feito histórico de Bezos deve-se ao impacto da covid-19. A sua empresa é uma das fiáveis para as compras on-line e com metade do mundo fechado em casa, usou os seus serviços para continuar a comprar. Como nota, diga-se que a Amazon valorizou 73% desde o início do nosso pesadelo.

Ora, foi também por estes dias que o governo de Angola se viu obrigado a levar à Assembleia Nacional a aprovação de um Orçamento de Estado retificativo. Medida imposta pelo impacto da pandemia no preço do petróleo, a principal fonte de receita do país. O primeiro Orçamento tinha sido feito com o preço da matéria-prima a 55 dólares, preço agora retificado para 33 dólares.

Feita as contas, ficou inscrito que tudo o que o Estado angolano pode gastar neste ano são… 13 mil milhões de dólares.

13 mil milhões que deverão usados para servir.. 32 milhões de angolanos.

Um dia na vida de Jeff Bezos representa um ano de saúde, educação, apois à indústria ou agricultura e tudo o mais que um Estado de direito deve garantir aos seus cidadãos.

Desiguldades?! Agora cá.

*Editora da edição portuguesa do Plataforma

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Artigos relacionados
Editorial

Aviso de tsunami

Editorial

A minha tem mais 90 do que a tua

Editorial

Navegação à vista

Editorial

Vacina não é (só) covid

Assine nossa Newsletter