Japão, Índia, Alemanha e Brasil exigem lugar permanente no Conselho de Segurança

Japão, Índia, Alemanha e Brasil exigem lugar permanente no Conselho de Segurança

A Alemanha, a Índia, o Japão e o Brasil exigiram ontem, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas, um lugar permanente no Conselho de Segurança, um pedido que já é antigo, mas que dificilmente surtirá o efeito pretendido.

“Estamos empenhados em relançar as discussões sobre a reforma do Conselho de Segurança” da Organização das Nações Unidas (ONU), explicitaram, em comunicado conjunto citado pela France-Presse (AFP), os ministros nos Negócios Estrangeiros do Brasil, Ernesto Araújo, do Japão, Motegi Toshimitsu, da índia, Subrahmanyam Jaishankar, e o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Niels Annen.

Estes quatro países consideraram que “o mundo hoje é muito diferente daquele que viu a criação das Nações Unidas há 75 anos”. Há “mais países, mais pessoas, mais desafios, mas também há mais soluções”, acrescentaram os diplomatas.

A ampliação do Conselho de Segurança, com mais elementos permanentes e não permanentes, foi um dos principais tópicos de discussão durante a semana. Actualmente, os Estados-membros permanentes deste organismo são os Estados Unidos da América (EUA), a China, a Rússia, França e o Reino Unido. Há outros dez países que integram o Conselho de Segurança, que são escolhidos para um mandato de dois anos, mas cinco são renovados anualmente.

Leia mais em Hoje Macau

Related posts
MundoSociedade

Relatório da ONU aponta para "agravamento dramático" da fome no mundo em 2020

Mundo

ONU alerta que seca pode ser “a próxima pandemia”

BrasilPolítica

Brasil entre os eleitos para o Conselho de Segurança da ONU

EconomiaMoçambique

ONU investe no empoderamento da raparigas na Zambézia

Assine nossa Newsletter