Estudo: Atrasar tratamentos de cancro por um mês aumenta risco de morte até 13% - Plataforma Media

Estudo: Atrasar tratamentos de cancro por um mês aumenta risco de morte até 13%

Atrasar o tratamento de um cancro por um mês aumenta o risco de mortalidade do paciente, adverte um estudo publicado nesta quarta-feira, que reforça a conclusão de outras pesquisas sobre os efeitos colaterais da pandemia em outras doenças.

O novo coronavírus causou rupturas sem precedentes no acesso a serviços de saúde no mundo inteiro. Em estudo publicado na revista médica britânica “BMJ”, pesquisadores britânicos e canadenses analisaram as consequências do atraso do tratamento (cirurgias, radio e quimioterapia, etc.) em sete tipos de câncer, a partir de 34 estudos publicados nos últimos 20 anos.

Fora da pandemia, “os atrasos no tratamento são exceção, mas podem afetar 10% ou 15% dos pacientes”, indicou à AFP o oncologista Ajay Aggarwal, um dos autores do estudo. Ele concluiu que um mês de atraso pode aumentar o risco de morte entre 6% e 13%. Quanto maior o atraso, maior o risco.

Leia mais em IstoÉ.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
MundoSociedade

UE pode não renovar contrato com AstraZeneca devido a atrasos

BrasilPolítica

Câncer de Bruno Covas atinge fígado e ossos, mostram exames

PortugalSociedade

Portugal recebeu as primeiras 31.200 vacinas da Janssen que ficam a aguardar decisão

CulturaLusofonia

Livro junta 75 escritores lusófonos sobre a pandemia para promover português

Assine nossa Newsletter