Covid-19: Morreu Pino Solanas, o cineasta argentino movido pela paixão política - Plataforma Media

Covid-19: Morreu Pino Solanas, o cineasta argentino movido pela paixão política

O cineasta argentino Fernando Solanas morreu na madrugada deste sábado (7), em Paris, aos 84 anos. Ele estava internado havia mais de uma semana depois de contaminar-se com o coronavírus. Por uma triste coincidência, morreu na cidade que foi cenário de uma de suas mais lindas produções: “Tangos – O Exílio de Gardel” (1985), um musical que trata da vida de um grupo de argentinos exilados na França na última ditadura militar (1976-1983).

Solanas sempre foi um artista engajado e preocupado com as questões políticas do seu tempo. Seu cinema foi marcado pela denúncia, tanto da repressão, nos anos da ditadura, como da situação de pobreza em que viviam muitos argentinos durante a democracia, especialmente depois da crise de 2001. Também o moviam questões ambientais, e realizou filmes que denunciavam a exploração de recursos naturais de modo irregular.

Ex-candidato a presidente, ex-deputado e ex-senador, Solanas estava na França como embaixador da Argentina frente à Unesco. Seu último ato oficial foi uma visita ao papa Francisco, no Vaticano, para falar de pobreza e mudança climática.

Leia mais em Folha de S.Paulo.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
CulturaMundo

Animações antigas passam por remodelação para representar a comunidade LGBT

Desporto

Japão suspenderá estado de emergência um mês antes dos Jogos de Tóquio

EconomiaMundo

Países da zona euro devem manter “postura orçamental de apoio” em 2022

Mundo

OMS designa como variante Lambda o SARS-CoV-2 presente na América Latina

Assine nossa Newsletter