Moçambique necessita de alimentos - Plataforma Media

Moçambique necessita de alimentos

A ajuda alimentar a Moçambique deve chegar a menos de metade das pessoas necessitadas nos próximos cinco meses, de acordo com as previsões divulgadas ontem pela rede humanitária de Alerta Antecipado de Fome (rede Fews, sigla inglesa).

Segundo a Lusa, o IPC é uma classificação internacional sobre a fase em que se encontra a segurança alimentar (da sigla inglesa Integrated Food Security Phase Classification) e varia entre um, inexistente, a cinco, fome severa.

A maior parte da assistência será dirigida aos 435 mil deslocados da violência armada em Cabo Delgado, Norte do país, no entanto, em Setembro, só chegou a cerca de 274 mil e prevê-se que até Março chegue, no máximo, a 367 mil mensalmente – mas a rede prevê que o número de deslocados aumente nos próximos dias.

Haverá famílias que “provavelmente permanecerão em crise ” e outras, que permanecem em locais mais remotos, já poderão estar mesmo numa emergência, alimentar”,acrescenta.

Além de Cabo Delgado, a assistência humanitária tenta matar a fome a famílias afectadas pela seca no Sul e em recuperação do ciclone Idai no Centro – onde há também focos de instabilidade militar.

Para os próximos meses, há previsão de “chuvas normais” no país que favorecem a produção, mas em Cabo Delgado “as famílias em áreas directamente afectadas pelo conflito estarão a viajar para áreas seguras em vez de se envolver em actividades agrícolas”. Famílias com poupança dependerão dos mercados até à nova colheita, a partir de Abril, mas “os preços elevados, incluindo do milho em grão e farinha, limitarão o já reduzido poder de compra das famílias”, em especial no Norte do país.

Leia mais em Jornal de Angola

Artigos relacionados
MoçambiqueSociedade

Mais de 50 pessoas foram decapitadas por terroristas num campo de futebol em Cabo Delgado

MoçambiqueSociedade

Terroristas tentaram invadir penitenciárias em Cabo Delgado

MoçambiqueSociedade

Cabo Delgado: Jornalistas escondidos nas matas há 10 dias

AngolaPortugal

MNE acompanha caso de rapto de portuguesa nos arredores de Maputo

Assine nossa Newsletter