Juiz da Pensilvânia rejeita alegações de Trump de fraude eleitoral - Plataforma Media

Juiz da Pensilvânia rejeita alegações de Trump de fraude eleitoral

Um juiz da Pensilvânia rejeitou as acusações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de fraude eleitoral generalizada no estado.

A medida é mais um golpe nas tentativas do republicano de reverter sua derrota na eleição presidencial.

A decisão do magistrado, que criticou a estratégia legal da equipe de Trump, abre caminho para que a Pensilvânia certifique a vitória do democrata Joe Biden no estado, cujas autoridades devem anunciar o vencedor na segunda-feira.

Com a posse de Biden, dia 20 de janeiro, cada vez mais próxima, a equipe de Trump tem se concentrado em tentar atrasar ou impedir que diversos estados certifiquem os resultados eleitorais, além de ter promovido inúmeras ações judiciais que até agora fracassaram.

O juiz Matthew Brann escreveu em sua decisão que a equipe do magnata republicano havia apresentado “acusações especulativas” em suas denúncias de fraude na votação por correio.

“Nos Estados Unidos, isso não pode justificar a privação do direito ao voto nem mesmo de um único eleitor”, escreveu Brann. “Nosso povo, leis e instituições exigem mais.”

Biden obteve 306 votos eleitorais e Trump, 232. O Colégio Eleitoral elegerá o novo presidente em 14 de dezembro, mas primeiro os estados precisam certificar os resultados.

A recusa de Trump em reconhecer sua derrota, no entanto, complicou o processo e gerou preocupações de que a confiança dos americanos em seu sistema de votação seja abalada.

Poucos republicanos até agora reconheceram Biden como o vencedor e pediram que Trump recue.

Artigos relacionados
MundoPolítica

Geórgia certifica vitória de Biden mas Trump ainda pode pedir recontagem

MundoPolítica

Trump despede o diretor da agência que garantiu que as eleições foram seguras

MundoPolítica

Trump deixa cair parte do processo por fraude eleitoral na Pensilvânia

MundoPolítica

Milhares de apoiantes de Trump concentram-se para exigir "mais quatro anos"

Assine nossa Newsletter