Ramalho Eanes critica “imobilidade preocupante dos PALOP”

Ramalho Eanes critica “imobilidade preocupante dos PALOP” em relação a Moçambique

O ex-Presidente da República de Portugal considera que os PALOP já deveriam ter mobilizado a sua acção externa para pressionar uma ajuda da Europa no combate ao islamismo radical que ataca o Norte de Moçambique

O antigo Presidente da República de Portugal, Ramalho Eanes, criticou a “imobilidade preocupante” dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) relativamente à possível resposta da Europa na ajuda aos ataques armados no Norte de Moçambique.

“Há uma imobilidade preocupante dos PALOP, que já deviam ter mobilizado a sua acção externa para tentar fazer com que a Europa ajudasse a combater o islamismo radical que ataca o norte de Moçambique”, disse Ramalho Eanes durante uma conferência virtual que decorreu na manhã de ontem, organizada pela consultora SAP sob o lema “Sustentar o Crescimento Económico no Próximo Normal”.

Havia uma resposta fácil desde que houvesse força e iniciativa e uma acção de mobilização da Europa e das Nações Unidas, e é muito fácil, havendo forças especializadas e drones, resolver a situação”. A violência armada em Cabo Delgado, Norte de Moçambique que, está a provocar uma crise humanitária com cerca de duas mil mortes e 500 mil pessoas deslocadas, sem habitação, nem alimentos, concentrando-se sobretudo na capital provincial, Pemba.

Leia mais em O País

Artigos relacionados
MoçambiqueSociedade

Em Cabo Delgado já não se contam os mortos

EconomiaLusofonia

Presidência lusa da UE trará "muitos benefícios" aos PALOP

MoçambiquePolítica

Portugal admite enviar militares para combater terroristas em Moçambique

MoçambiquePolítica

Moçambique pede apadrinhamento de Portugal na compra da vacina

Assine nossa Newsletter