Jornalista que incentivou protestos contra o regime enforcado - Plataforma Media

Jornalista que incentivou protestos contra o regime enforcado

Ruholá Zam, diretor do ‘site’ Amadnews for condenado à morte por 13 acusações, incluindo corrupção na terra. A denominação de “corrupção na terra” está entre as acusações mais graves consideradas pelo Irão.

O ativista e jornalista iraniano Ruholá Zam, diretor do ‘site’ Amadnews, foi enforcado este sábado depois de ter sido condenado à morte por incitar protestos contra o regime em finais de 2017 no Irão, informaram hoje as autoridades iranianas.

“Zam foi condenado à morte por 13 acusações, incluindo corrupção na terra, e a sua sentença foi confirmada pelo Supremo Tribunal e, após os procedimentos legais de hoje, 12 de dezembro de 2020, a sua sentença de morte foi executada e foi enforcado”, informa a Procuradora-Geral e Revolucionária, em comunicado.

A denominação de “corrupção na terra” está entre as acusações mais graves consideradas pelo Irão, nas quais se inclui o assassinato, o terrorismo ou insurgir-se contra o Estado e em que a jurisprudência islâmica costuma punir com enforcamento.

Leia mais em Diário de Notícias

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
MundoPolítica

UE vai apresentar resolução contra o Irão na AIEA

MundoPolítica

Pelo menos 17 combatentes pró-Irão mortos em ataque aéreo dos EUA na Síria

ChinaMundo

China diz que programa nuclear do Irão está num “ponto crítico”

BrasilCultura

Elite do cinema mundial apoia cineasta e ativista iraniana presa no Brasil

Assine nossa Newsletter