Bolsonaro ironiza com intenção de Macron produzir soja na Europa

Bolsonaro ironiza com intenção de Macron produzir soja na Europa

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, ironizou na quinta-feira com a intenção do seu homólogo francês, Emmanuel Macron, produzir soja na Europa para não depender do país sul-americano e pressionar o Brasil a preservar a Amazónia

“Pelo amor de Deus, senhor Macron, não compre soja do Brasil, porque assim você não desfloresta a Amazónia. Compre soja da França. A França produz 20% da soja que a cidade de Sorriso produz aqui, no estado de Mato Grosso”, disse Bolsonaro, em tom irónico, na sua transmissão semanal em vídeo na rede social Facebook.

“Não fale besteira [asneiras], senhor Macron, você não conhece nem o seu país e fica dando pitaco [palpites] aqui do Brasil”, acrescentou o chefe de Estado brasileiro

Bolsonaro referia-se às declarações feitas esta semana por Macron, um forte crítico das políticas ambientais do atual Governo brasileiro, e que sujeitou o acordo comercial entre o Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) e a União Europeia ao compromisso do Brasil em preservar a Amazónia.

Num vídeo gravado ao lado de produtores rurais do seu país, Macron propôs a criação de uma “soja europeia” para pressionar o Brasil a honrar os seus compromissos ambientais e reduzir a desflorestação e as queimadas na Amazónia e no Pantanal.

“Quando importamos a soja produzida a partir da floresta destruída no Brasil, nós não estamos a ser coerentes. […] Precisamos da soja brasileira para viver? Vamos começar a produzir soja europeia ou equivalente”, disse Macron, na terça-feira, num vídeo partilhado na rede social Twitter.

“Continuar a depender da soja brasileira seria apoiar a desflorestação da Amazónia. Somos consistentes com as nossas ambições ecológicas, estamos a lutar para produzir soja na Europa”, escreveu ainda Macron na mesma rede social.

Para Bolsonaro, o Governo francês “não tem que falar em reflorestação ou em dar dinheiro”. “Quanta floresta a França tem?”, questionou o Presidente do Brasil.

“Não precisa de nos dar dinheiro, não. Nós vamos dar mudas de árvore para você replantar aí, reflorestar aí. Quer reflorestar o seu país? Nós estamos à disposição para colaborar nesse sentido”, acrescentou Bolsonaro, que acusou Macron de mentir e pregar contra o Brasil.

Na sua transmissão em direto no Facebook, Bolsonaro voltou a referir-se à decisão anunciada pela multinacional automóvel norte-americana Ford de encerrar as suas três fábricas no país sul-americano, como parte da reestruturação das suas operações na América Latina, após quase um século de atividade.

“A Ford, respeitosamente, mesmo com subsídios, foi incapaz e deixou-se levar pela concorrência. Então, os asiáticos, carros chineses, coreanos, vieram ao Brasil e sufocaram a Ford”, avaliou Bolsonaro.

“Lamentamos profundamente o que aconteceu, mas, num país democrático, onde a liberdade de mercado é respeitada, quem dá lucro permanece, quem não dá lucro fecha”, concluiu.

Na terça-feira, Bolsonaro lamentou a perda de 5.000 empregos no país após o anúncio da Ford de suspender a fabricação de automóveis e disse que a empresa norte-americana escondeu parte da verdade, porque o que a companhia queria era “mais subsídios”.

Artigos relacionados
ChinaMundo

Presidentes da França e China conversam sobre economia e Mianmar mas não citam uigures

CulturaMundo

Teatro de Maria Antonieta aproveita confinamento para obras

MundoPolítica

Jihadista que teve asilo em Portugal condenado a 30 anos de prisão em França

BrasilPolítica

Brasil e França devem ser "amigos" após conflito com Macron

Assine nossa Newsletter