Passageiros que cheguem ao aeroporto de Luanda vão pagar teste da covid-19 - Plataforma Media

Passageiros que cheguem ao aeroporto de Luanda vão pagar teste da covid-19

Depois do dia 24 do corrente mês, todos os passageiros provenientes de países para os quais Angola não suspendeu ligações aéreas passam a comparticipar nos testes de Covid-19, após desembarque no Aeroporto 4 de Fevereiro, segundo a ministra da Saúde, Sílvia Lutukuta, em entrevista exclusiva a OPAÍS. A responsável sublinhou, ainda, que tudo isso tem custos elevados, mas que, para essa situação de emergência, ainda é gratuita

Em exclusivo a OPAÍS, ontem, no Aeroporto 4 de Fevereiro, Sílvia Lutukuta explicou que os testes pós-desembarque passarão a ser comparticipados, para os passageiros provenientes do exterior, depois do dia 24 do corrente mês, sublinhando ser uma logística muito pesada. “São custos elevados e eles vão ter de comparticipar. Nós, dessa vez, não cobramos, porque é uma situação de emergência, é como se fosse uma ponte aérea. A partir do dia 24, as pessoas já estão conscientes que fecharemos e, então, quem viajar vai ter de assumir os custos”, esclareceu.

A governante fez saber que tem sido um processo bastante célere, sendo que os profissionais estão bastante comprometidos e dedicados em aumentar, todos os dias, a capacidade de testagem. “Nós já testamos mais de três mil passageiros, sem interrupção. Os passageiros não têm ficado muito tempo à espera.

Nós tinhamos uma previsão de 3 a 4 horas, mas superamos as expectativas. O tempo mais longo foi no primeiro dia, de uma hora e meia, agora temos estado a conseguir tirar daqui os passageiros em menos tempo”, afirmou.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
BrasilPolítica

Brasil é o 2º país com mais barreiras de entrada no exterior por conta do coronavírus

BrasilSociedade

Brasil bate recorde e supera EUA em novas mortes por Covid por milhão de habitantes

Mundo

Alemanha adota plano de suspensão progressiva do confinamento

ChinaMundo

Milhares de vacinas falsas apreendidas na África do Sul e China

Assine nossa Newsletter