Procuradores que recebem até R$ 100 mil falam em esmola e protestam contra celular funcional de R$ 3.600 - Plataforma Media

Procuradores que recebem até R$ 100 mil falam em esmola e protestam contra celular funcional de R$ 3.600

Integrantes do Ministério Público Federal recebem ainda notebook e tablet; PGR defende contrato de celular funcional

Mensagens obtidas pela Folha na rede interna usada por procuradores da República mostram a insatisfação de integrantes do Ministério Público Federal com a qualidade de um novo telefone celular que passou a ser fornecido pela instituição, cujo preço de mercado oscila de R$ 2.600 a R$ 3.600.

O aparelho foi chamado de esmola por procuradores que, além do salário de R$ 33,6 mil, recebem auxílio-alimentação (R$ 910), abono pecuniário (de até R$ 29,9 mil) ou gratificação por acúmulo de ofício (de até R$ 7.500).

Leia mais em Folha de S. Paulo

Related posts
BrasilPolítica

Supremo suspende decretos de Bolsonaro que flexibilizam compra de armas

BrasilPolítica

Telefonema provoca bate-boca e amplia desgaste de Bolsonaro em Poderes

BrasilPolítica

Bolsonaro ignora 4 mil mortes, ironiza título de genocida e critica medidas restritivas

BrasilEconomia

Impasse no Orçamento atrasa 13º de aposentados e programa de corte de jornada e salário

Assine nossa Newsletter