Governo brasileiro negou 3 vezes ofertas da Pfizer e perdeu ao menos 3 milhões de doses de vacina - Plataforma Media

Governo brasileiro negou 3 vezes ofertas da Pfizer e perdeu ao menos 3 milhões de doses de vacina

Pfizer/BioNTech Vaccine

Propostas da farmacêutica e também do Butantan previam entregas de imunizantes a partir de dezembro do ano passado.

O governo brasileiro rejeitou no ano passado três ofertas da farmacêutica Pfizer, deixando de obter ao menos 3 milhões de doses em meio à escassez de vacinas contra a Covid-19. O volume, que era previsto até fevereiro, é equivalente a cerca de 20% das doses já distribuídas no país até agora.

O anúncio feito pelo Ministério da Saúde nesta última semana de que pretende comprar doses da vacina da empresa norte-americana ocorreu quase sete meses após a primeira oferta apresentada, que previa que as primeiras entregas fossem feitas ainda em dezembro de 2020.

Duas das propostas feitas antes da que o governo diz ter aceitado agora —o contrato ainda não foi assinado— previam vacinas já em dezembro, quando imunizante passou a ser aplicado em países como Reino Unido e EUA. A terceira previa as vacinas em janeiro. Agora, membros do ministério tentam negociar com a empresa entregas a partir de maio.

A Pfizer não foi a única a ter propostas rejeitadas. Documentos mostram que outros laboratórios também tiveram ofertas que previam entregas mais cedo ignoradas, a exemplo do Instituto Butantan, que hoje é responsável por pelo menos 78% das vacinas já distribuídas no país contra a Covid.

Além disso, embora o ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, tenha afirmado recentemente que encontrou dificuldade em negociações com o consórcio Covax Facility, da Organização Mundial de Saúde, pessoas ligadas às conversas apontam que foi da pasta a decisão de adquirir doses para apenas 10% da população por meio da iniciativa.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Related posts
BrasilSociedade

Covid-19: Brasil com falta de medicamentos para pacientes ventilados

BrasilPolítica

Presidenciáveis atacam Bolsonaro, apontam retrocessos e indicam prioridades durante e pós pandemia

BrasilPolítica

Governo brasileiro faz pressão desumana para influir na CPI da Covid, diz favorito para relatoria

BrasilSociedade

Enterros noturnos: o novo normal do maior cemitério da América Latina

Assine nossa Newsletter