Brasil "abriu caminho" para parceria com Israel nos testes de spray nasal

Brasil “abriu caminho” para parceria com Israel nos testes de spray nasal

O Brasil “abriu caminho” para ser o “principal parceiro” de Israel na segunda e terceira fases dos testes de um spray nasal contra a covid-19, em desenvolvimento em Tel Aviv, disseram fontes oficiais na terça-feira.

“Com o Ichilov [centro médico israelita], abrimos o caminho para que o Brasil seja o principal parceiro na 2ª e na 3ª fase dos testes do EXO-CD24 [spray nasal], bem como no desenvolvimento, aprimoramento e produção deste spray nasal que vem se mostrando muito promissor no tratamento de casos graves de covid-19”, anunciou o assessor para assuntos internacionais do Palácio do Planalto, Filipe Martins, na rede social Twitter.

A delegação brasileira, chefiada pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, encerrou na terça-feira uma viagem de três dias a Israel, com o intuito de negociar uma possível parceria para testar o spray nasal que está a ser desenvolvido em Tel Aviv, mas que ainda não tem eficácia comprovada.

Desde o início da pandemia, o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, tem promovido o uso de medicamentos sem comprovação científica contra o novo coronavírus, como a cloroquina. Contudo, nas últimas semanas, o chefe de Estado tem apostado neste inalador nasal israelita para combater a doença.

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente e que também integrou a comitiva a Israel, indicou que o processo está a ser desenvolvido em acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa, órgão regulador do Brasil), de forma a que o Brasil tenha “a mesma vanguarda que Israel no combate à pandemia”.

O EXO-CD24 é um medicamento experimental para o cancro dos ovários, que apresentou resultados preliminares positivos em pacientes infetados com o novo coronavírus. Contudo, ainda não foi totalmente concluído nenhum estudo clínico sobre o fármaco.

Segundo o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) brasileiro, que disponibiliza informações de diversas fontes sobre investigações feitas em todo o mundo face à covid-19, os testes de fase 1 com o EXO-CD24 já foram concluídos.

“Um novo tratamento contra a covid-19, sendo desenvolvido no Centro Médico Ichilov de Tel Aviv (Israel), concluiu os testes de fase 1. O hospital anunciou que a substância EXO-CD24 foi administrada a 30 pacientes cujas condições eram moderadas ou piores, e todos os 30 se recuperaram – 29 deles em três a cinco dias. O medicamento combate a tempestade de citocinas, que se acredita ser responsável por muitas das mortes associadas à doença”, indicou o INPI, num documento partilhado no mês passado.

Ainda segundo Filipe Martins, na visita a Israel foi assinada uma outra parceria semelhante, envolvendo o medicamento Allocetra e o desenvolvimento de vacinas, com o Instituto Hadassa. O fármaco em causa será testado em casos moderados e graves.

Já com o “Instituto Weizmann, será estabelecido um grupo de trabalho para a cooperação em mais de 65 linhas de investigação na área de combate à pandemia, incluindo tecnologias de testagem, de previsão de tendências na propagação do vírus, de medicamentos e de vacinas”, acrescentou o assessor.

“Por fim, enquanto o Brasil se prepara para utilizar as vacinas da Pfizer pela 1ª vez, acordamos com o Governo israelita o compartilhamento de dados sobre o uso da vacina em Israel, com a finalidade de garantir maior segurança para os brasileiros que optarem por se vacinar”, concluiu Martins.

Israel, que é líder mundial na vacinação contra a covid-19, não produz vacinas contra a Covid-19, mas está a administrar as da farmacêutica Pfizer.

O Brasil, com 212 milhões de habitantes e que vacinou cerca de 4% da sua população, concentra 268.370 mortes e 11.122.429 casos de infeção, sendo um dos três países mais afetados pelo novo coronavírus em todo o mundo.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.600.802 mortos no mundo, resultantes de mais de 117 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Related posts
MundoSociedade

Mundo vivencia aumento de restrições e obstáculos na vacinação anticovid

MundoSociedade

Reino Unido atingirá hoje imunidade de grupo e Boris Johnson já pode cortar o cabelo

Desporto

Japão reforça medidas contra covid a 100 dias dos Jogos de Tóquio

PortugalSociedade

Dezenas de personalidades pedem que vacinas sejam bem de interesse comum

Assine nossa Newsletter