Governo chinês pede ao grupo Alibaba que se desfaça de ativos na imprensa - Plataforma Media

Governo chinês pede ao grupo Alibaba que se desfaça de ativos na imprensa

O Governo chinês pediu ao gigante do comércio eletrónico Alibaba que se desfaça de activos no sector da imprensa, visando contrariar a influência do grupo fundado por Jack Ma, informou o jornal Wall Street Journal (WSJ).

O bilionário, que se retirou oficialmente do Alibaba, em 2019, mas continua a ser um dos principais acionistas do grupo, é há alguns meses alvo das autoridades do país asiático. Os reguladores chineses suspenderam em novembro a entrada em bolsa do Ant Group, uma subsidiária do Alibaba para pagamentos digitais e, no mês seguinte, abriram uma investigação sobre práticas alegadamente monopolistas do grupo.

As autoridades pediram agora ao Alibaba que reduza drasticamente a sua presença no setor da imprensa, segundo o jornal norte-americano, que não identifica nenhuma fonte.

O Alibaba detém o South China Morning Post (SCMP), jornal de referência em língua inglesa, em Hong Kong. O grupo também tem participações na rede social Weibo, o equivalente ao Twitter na China, e na plataforma de transmissão de vídeos Bilibili, além de outros órgãos e também agências de publicidade.

Leia mais em Hoje Macau

Related posts
AngolaSociedade

MPLA: Liberdade de imprensa contribui para a formação da consciência crítica

China

China multa 'gigante' do comércio 'online' Alibaba em 2,33 mil milhões de euros

MacauPolítica

Ho Iat Seng nega pressões na TDM e Macau entra em ranking de liberdade de imprensa

MacauPolítica

Associação de Macau sublinha que jornalistas não são agentes de propaganda política

Assine nossa Newsletter