Ministro brasileiro poderá ter saído por questionar vacina chinesa

Ministro brasileiro poderá ter saído por questionar vacina chinesa

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, pediu a demissão após uma forte pressão de políticos ligados ao Presidente do país, Jair Bolsonaro, que o acusam de obstruir o acesso às vacinas contra a covid-19, divulgou a imprensa brasileira. Araújo teve um atrito directo com Yang Wanming, embaixador da China no Brasil, por comentários que questionavam a eficácia das vacinas produzidas no China.

Yang Wanming revelou que o presidente da Assembleia Popular Nacional da China, Li Zhanshu, e o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Arthur Lira, tinham falado sobre o “reforço da parceria no combate à pandemia e nas vacinas”.

Já a 9 de março Arthur Lira tinha enviado uma carta ao governo chinês a pedir o envio de vacinas chinesas e de ingredientes activos para a produção de doses de vacinas.

Segundo a agência espanhola Efe, um dia antes, o secretário executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, tinha enviado uma carta a Yang Wanming a pedir ajuda para adquirir 30 milhões de doses da vacina BBIBP-CorV, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinopharm.

Leia mais em Hoje Macau

Related posts
BrasilPolítica

Covid-19: Presidente do Brasil diz que teve sintomas de reinfeção recentemente

BrasilPolítica

Bolsonaro insiste em defesa de cloroquina e chama CPI da Covid de 'xaropada'

BrasilSociedade

Brasil aproxima-se dos 15 milhões de casos e de 415 mil mortos

Brasil

Bolsonaro lamenta morte de Paulo Gustavo: 'Que Deus o receba com alegria'

Assine nossa Newsletter