Um Estreito complicado

Um Estreito complicado

O Estreito de Taiwan não tem sido estável nos últimos dois ou três anos. Forças militares de diferentes lados tentaram intervir no Estreito da Formosa. Os navios de guerra americanos estão a navegar ao longo da costa, enquanto os militares do continente também fazem o mesmo. Recentemente, a marinha britânica está a aproximar-se de Taiwan. Várias situações parecem ser instáveis.

Na semana passada, deu-se um episódio no Estreito. Um homem de Fujian conduziu um barco de borracha comprado no Taobao e declarou que “fugia para a liberdade”. Partiu de manhã e navegou durante quase 13 horas para fazer a travessia do estreito em direção a Taichung com sucesso, onde chegou ao fim da noite. Agora vai ficar 14 dias em quarentena, cumprindo os regulamentos, e tratará dos seus assuntos mais tarde. O Estreito de Taiwan sempre foi turbulento e o homem chegou a Taiwan sem qualquer ferimento. A população local pensa que é muito estranho.

No entanto, considerando as perspetivas militares e geopolíticas, este episódio causa ansiedade. O Estreito da Formosa tem uma largura média de 180 quilómetros e um comprimento de cerca de 370 quilómetros. A distância, em largura, é cerca de três vezes superior à das rotas marítimas de Hong Kong e Macau. A linha do meio do estreito é uma demarcação estabelecida por defeito pelas autoridades de ambos os lados.

Quando a marinha ou a força aérea de um dos lados (ou respetivos aliados) atravessa a linha do meio sem justificação, isso equivale a uma provocação militar.

O Estreito de Taiwan, que é um campo de batalha para estrategas militares, foi assim facilmente atravessado e quem o fez não foi descoberto ou impedido pelos militares dos dois lados e durante 13 horas. Neste caso particular, o Departamento de Defesa de Taiwan tem sido criticado e acusado de negligência no cumprimento dos deveres.

Afinal, a linha imaginária que divide o estreito parece fácil de violar e chegar à ilha por barco não parece ser tarefa difícil, muito menos impossível. A capacidade global de defesa de toda a ilha foi assim ainda mais questionada e subestimada. Alguns rumores apontam que não se trata de um simples episódio, anormal, mas sim de uma manobra das autoridades do continente para testarem as capacidades de defesa de Taiwan.

Um episódio que parece uma anedota e duas interpretações que trouxeram também mais uma (pequena) anomalia para a já complicada situação
no Estreito de Taiwan.

*Diretor Executivo do Plataforma

Related posts
Editorial

A onda de emigração que nos atingiu

Editorial

Temida desqualificação

Editorial

Retirada da Didi

Editorial

As luzes do arco-íris

Assine nossa Newsletter