Inglaterra sonha conquistar o seu primeiro Europeu em 'casa'

Inglaterra sonha conquistar o seu primeiro Europeu em ‘casa’

Com os jogos da primeira fase, uma possível oitava de final, as semifinais e final em Wembley, a Inglaterra tem a chance de ouro de conquistar o seu primeiro Europeu (de 11 de junho a 11 de julho) em casa, com uma geração talentosa, principalmente no ataque

Depois de quatro anos no comando da seleção inglesa, Gareth Southgate vê Raheem Sterling, Marcus Rashford e Harry Kane amadurecerem, impulsionados pela nova geração representada por Jadon Sancho, Phil Foden, Mason Mount e Jude Bellingham… 

Com uma média de idade de 25 anos e três meses, a Inglaterra será uma das equipes mais jovens da competição. Mas com 11 jogadores envolvidos nas duas finais europeias (Champions League e Liga Europa), não terá o problema da falta da experiência no mais alto nível.

Muitos foram longe na seleção, até a semifinal perdida na prorrogação contra a Croácia (2-1) e na Liga das Nações no ano seguinte contra a Holanda (3-1 após prorrogação). 

Alguns vão lembrar da Eurocopa de 1996, organizada na Inglaterra e na qual a seleção anfitriã perdeu nas semifinais para a Alemanha nos pênaltis. Autor da 11ª cobrança, defendida pelo goleiro, deixando para Andreas Möller converter a sua, Southgate não tem boas recordações. 

Mas também há quem cite a Copa do Mundo de 1966, sediada e conquistada pela Inglaterra após vencer os próprios alemães na final em Wembley (4-2) e que continua sendo até hoje o único grande título de nível internacional.

Evitar cansaço e pressão

A Inglaterra terá que administrar a recuperação de alguns jogadores importantes, como Harry Maguire e Jordan Henderson, que entram na competição após superar lesões. 

O setor defensivo também suscita dúvidas, apesar de John Stones ter recuperado sua posição de titular no Manchester City e ter jogado em bom nível. 

E depois há a pressão de um país que ama ou odeia a sua seleção. 

“Não estamos alheios a esta questão, devemos corresponder às expectativas”, reconheceu Southgate, admitindo que não chegar às semifinais seria visto “provavelmente” como um fracasso.

“Estamos prontos para vencer? Chegamos às semifinais duas vezes, então a próxima etapa é tentar ir mais longe”, acrescentou. 

Para evitar surpresas, a Inglaterra não pode falhar na primeira fase, garantindo a primeira vaga que lhe permitiria jogar as oitavas de final em Wembley, o templo histórico do futebol britânico. 

A primeira partida, no dia 13 de junho, dará aos ingleses a possibilidade de uma revanche contra a Croácia, que acabou com o sonho de chegar à final da Copa do Mundo há três anos na Rússia. 

Em seguida, haverá uma partida sempre difícil contra a vizinha Escócia, no dia 18 de junho, 25 anos após o duelo vencido na Eurocopa de 1996 com um antológico gol de Paul Gascoine. 

No último jogo, em 22 de junho, a Inglaterra enfrentará a República Tcheca, a quem goleou por 5 a 0 em Wembley, antes de sofrer sua única derrota em uma espetacular fase de classificação para a seleção dos Três Leões: 7 vitórias em 8 jogos, com 37 gols marcados e 6 sofridos.

Related posts
DesportoPortugal

Marítimo e Nacional com público nas bancadas no arranque da época 2021/2022

Desporto

Golos de Paulinho e Taremi entre os nomeados da UEFA para melhor da época

MundoPolítica

Inglaterra levanta quase todas as restrições sanitárias

Desporto

UEFA abre processo disciplinar contra Inglaterra após incidentes na final do Euro

Assine nossa Newsletter